Buscar
  • Nonato Brito

Professor Nilson Amorim é sepultado em São Luís


Professor Nilson Amorim Matos

Foi sepultado na manhã de ontem (5) por volta das 11 horas, em São Luís, o jornalista e professor universitário Nilson José Amorim Matos, de 64 anos, que teria se jogado do oitavo andar do Condomínio Brisas, no Cohafuma, na manhã de sexta-feira.

De acordo com um dos cinco filhos (de três casamentos) do professor, o repórter cinematográfico Nilson José Amorim Matos Júnior, o seu pai era natural de Guimarães e nasceu em 6 de dezembro de 1951. Nilson Júnior observou que, atualmente, o jornalista estava morando naquele apartamento com o filho caçula, de 14 anos. Conforme frisou, o jornalista lecionava na Universidade Federal do Maranhão há aproximadamente 34 anos, no curso de Comunicação Social.

Uma diarista que trabalhava no apartamento, de nome Katiane de Jesus Silva Costa descreveu que Nilson Amorim, na data o incidente, pediu para ela um copo com água, sendo que Katiane disse ter ido buscar na cozinha, e, quando retornou ao quarto do professor ele não estava mais lá, e o ventilador, que se encontrava em cima de uma cadeira, estava no chão. Já acompanhada do filho mais novo do jornalista, a diarista descobriu que ele havia se jogado do prédio através da janela, por volta das 10h30 de sexta-feira.

Ela lembrou que Nilson Amorim já havia tentado se matar na última segunda-feira (29), quando teria sido atropelado em uma via do Cohafuma, apó0s ter saído do imóvel em um táxi, dizendo que iria à Universidade. Por conta do acidente, o docente foi levado ao Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão 2), de onde teria recebido alta no dia posterior, mas com um dos braços engessados e com vários pontos na cabeça.

A diarista relatou que ele confessou, em meados de novembro do ano passado, que estava com princípio de depressão, e, devido a esta doença, estava se consultado com um psiquiatra.

O corpo do jornalista foi velado na Central de Velórios da Pax União, na Rua Osvaldo Cruz e sepultado no Cemitério do Gavião, na Capital. (Fonte: Jornal Pequeno)


0 visualização