Buscar
  • Nonato Brito

ENTREVISTA - Reginaldo Lopes: "As ações do nosso governo foram planejadas respeitando o anseio


O ex-prefeito Reginaldo Lopes concede entrevista ao editor do Blog Vimarense, Nonato Brito

O Blog Vimarense dá continuidade às entrevistas com os ex-prefeitos de Guimarães, iniciadas neste ano. A primeira entrevista foi com o ex-prefeito Celso Coutinho. A segunda entrevista, seguindo a cronologia, deveria ocorrer com o ex-prefeito José Murilo Nunes de Sousa, mas, apesar do editor do blog tê-lo procurado várias vezes para a entrevista, compromissos com a sua campanha eleitoral deste ano vem impedindo o ex-prefeito de reservar uma hora para a gravação. No entanto, se a assessoria do candidato agendar uma hora para a entrevista, o Blog Vimarense deslocará um de seus repórteres para realizá-la e imediatamente publicá-la. Por essa razão, a equipe do blog resolveu entrevistar o ex-prefeito do mandato seguinte, o professor Antônio Reginaldo Lopes, que exerceu o mandato de 1º de janeiro de 1983 a 1º de janeiro de 1989. Estão com as entrevistas agendadas o ex-prefeito Antônio Agenor Gomes, Artur Farias e o padre William Guimarães da Silva.

Nesta entrevista, o ex-prefeito recorda-se de seu tempo de menino no povoado Ferreira, das peladas de futebol, da criação do Internacional Esporte Clube, da sua militância estudantil no Grêmio Estudantil Vitor Asselin como senador do Grêmio, da sua eleição para prefeito de Guimarães com a participação maciça de seus colegas professores, e das obras que conseguiu viabilizar em seu mandato de prefeito. A entrevista foi concedida ao editor do blog, Nonato Brito, na residência do ex-prefeito, na Rua Maria Firmina.

Nascido no povoado Ferreira, no dia 30 de maio de 1940, Antônio Reginaldo Lopes é filho de Aurino Pereira e Plínia Rabelo Lopes. É professor com formação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Maranhão e pós-graduado pela Faculdade Internacional de Curitiba-PR. Marido da professora Gracilene Cerveira, é pai de Wallace Jorge, Aryane e Layres.

O prefeito Reginaldo Lopes discursa em solenidade no Casino Vimarense. Na mesa, o vice-prefeito Valber Ferreira Pereira (o segundo, da esquerda para a direita), a secretária municipal de Educação Denildes Cunha (a quarta, da esquerda para a direita), o juiz da Comarca Tyrone Silva (o segundo da direita para a esquerda) e o vereador Antônio Luiz Gomes Brito (o primeiro, da direita para a esquerda).

Blog Vimarense - O senhor viveu toda a sua infância em Guimarães?

Reginaldo Lopes - Não só a infância, mas toda a minha mocidade. Parte da minha infância passei no interior do município com os meus avós.

O curso primário o senhor fez em Guimarães?

Iniciei o curso primário, com dez anos, na Escola Dionísia Santos Coração. Ela foi a minha primeira professora. Eu tinha de conciliar a falta de tempo para fazer as tarefas escolares, diante das tarefas diárias de trabalho desde a minha mudança da casa dos meus avós para a casa da minha madrasta, na sede do município.

Quem foram seus primeiros professores no primário?

Na Escola Reunida “Dr. Urbano Santos”, as minhas professoras foram Altiva Bela Gomes Teixeira, Aldira Gomes Fonseca, Carmelita de Carvalho Cuba e Antônia Carvalho Ribeiro.

O senhor sempre morou na sede e estudou na sede?

Até aos 10 anos morei na Ferreira. Estudei sempre na sede do município.

O senhor foi aluno da Escola Nossa Senhora da Assunção nos primeiros tempos da Missão Canadense?

Fui aluno da Escola Regional Ginasial Nossa Senhora da Assunção, fundada pela Missão Canadense, uma bênção recebida de Deus. Pertenci a segunda turma, pode-se considerar tempos áureos para a juventude, período das descobertas da literatura e do desenvolvimento em busca do conhecimento.

Quem foram os seus professores no ginásio?

O ensino era conduzido, baseado numa pedagogia da alta estima. Os nossos professores foram as freiras e os padres canadenses, todos dotados de uma cultura excepcional. Posso citar alguns deles Padre João Caya, Irmã Maria Assunta, Irmã Marieta, Padre Raimundo Ricard, Padre Marcelo e outros.

Quem foram os seus colegas da turma da época do ginásio?

Lembro-me com saudades dos meus colegas: José Benedito Araújo, Benedito Tarcísio Araújo, Moiselu, Maria do Carmo Borges, Francisca Cardoso Pereira, Valdecy Cardoso, Edimilson Pereira, Paula Ermita Lopes, Maria dos Anjos, José Murilo Nunes de Sousa, Ediomar Coelho Leite, Edmilson Coelho Leite, Soriano Magalhães e muitos outros. No curso normal Nossa Senhora da Assunção que formava professor para lecionar no primário e no secundário, os primeiros alunos diplomados foram Valber Pereira Ferreira, Aldalena Ferreira da Silva Melo, Maria da Conceição Schalcher, Heloisa Machado, Maria José Nascimento, Emília Salomé Pinheiro, Francília Silva Cantanhede e eu, em 1968.

O senhor estudou em outra cidade?

Fiz meu curso superior em São Luís, na UEMA.

O senhor começou a se integrar no movimento político quando ainda era estudante na Escola Nossa Senhora da Assunção ou depois?

Com a criação do Grêmio Estudantil Victor Asselin, fui eleito para a Câmara Alta do grêmio, e de imediato presidente do senado. Nasceu a vontade de fazer política, mas como vereador municipal, o que não aconteceu.

Quando o Grêmio Estudantil Vitor Asselin foi criado e o Clube Padrão Vimarense (CPV), o senhor já era professor ou ainda era estudante?

Não fui professor dos líderes, eu era estudante. Quando criou-se o Clube Padrão Vimarense eu era estudante.

O senhor substituiu a professora Antônia Carvalho Ribeiro na direção do Grupo Escolar Dr. Urbano Santos. Durante quantos anos o senhor foi diretor da escola?

Cheguei na Unidade Escolar Dr. Urbano Santos já formado para lecionar, mas como tinha estagiado na escola Paroquial “São José”, fui conduzido ao cargo de vice-diretor da escola, na direção da abnegada professora Antônia Carvalho Ribeiro, isso em 1969. Com a aposentadoria da professora Antônia Carvalho Ribeiro, assumi a direção da escola até o ano de 2001 quando me afastei com a aposentadoria.

O senhor foi um dos fundadores do clube de futebol Internacional. Como foi essa experiência no campo esportivo?

Futebol era a minha grande paixão desde menino. Lembro-me perfeitamente, na localidade de nascimento, tinha um menino chamado Francisco Maciel, conhecido por Chiquinho Gato, com quem passava a manhã inteira jogando futebol, eu de um lado e ele do outro. Éramos da mesma idade. Quando me mudei para a sede do município, joguei em vários times que eram formados. No time da escola eu era titular. Ao ser matriculado na Escola Nossa Senhora da Assunção, juntei-me aos colegas Raimundo Penafort, Haroldo Martins, José Raimundo Lima, Deco Abreu, João de Deus Martins, (o Milton Prego), Raimundo Utacy Magalhães, (o Seu Di). Quando fundamos o time de futebol “Internacional”, na época haviam três grandes clubes: o Guarapiranga, comandado por Lobato, o América, comandado pelo senhor Antônio Alfredo Costa e o Internacional, comandado pelos alunos da escola, tendo o Milton Prego como o nosso líder.

O prefeito Reginaldo Lopes (o segundo, em pé, da esquerda para a direita) com o Selecionado de Futebol de Guimarães no ano de 1985.

Blog Vimarense - Lembra de alguma partida em particular?

O melhor jogo da minha vida foi na cidade de Alcântara, o time jogou de forma integrada, tanto que envolvia o adversário. Eu era o goleiro, tive o maior desempenho nesse jogo, não perdi nenhuma bola. No final do jogo, Guimarães 1 X 0 Alcântara.

Quem integrava a diretoria do Internacional?

Integrava a diretoria Milton Prego, presidente; Raimundo Penafort, vice-presidente; Utacy Magalhães, Tesoureiro e eu, Secretário. Mas quem na verdade mandava no time era o João de Deus Martins, conhecido por todos como Milton Prego.

O senhor estava presente na reunião que criou a Liga Vimarense de Desportos (LVD) por Clementino Lobato?

Eu era menino quando foi criada a Liga Vimarense de Desportos. Guimarães deve muito ao senhor Clementino Lobato, por todo o sucesso que o município logrou na área do esporte futebolístico, no nosso estado.

No ano de 1971 ocorreu um embate entre torcidas no Campo de Futebol Felinto Goulart de Araújo, na Rua Emílio Habibe, durante jogo entre a seleção de Guimarães e a seleção de Cururupu pelo Torneio Intermunicipal, onde saiu uma senhora baleada, do lado da torcida de Guimarães e um torcedor de olho vazado, do lado da torcida de Cururupu. O senhor assistiu a partida?

Não fui ao estádio assistir a partida de futebol entre Guimarães e Cururupu, por falta de numerário para pagar a entrada, mas tomei conhecimento da tragédia. Foi realmente um ato desumano.

Como começou aquele confronto?

Confesso que não sei relatar aqui o que levou o povo esportista se manifestar daquela forma descabida.

Antes de ser prefeito o senhor candidatou-se a vereador ou a outro cargo eletivo?

Tendo concluído os meus estudos na Escola Nossa Senhora da Assunção, já com 28 anos de idade, deixei o convívio dos colegas, mas iluminado com a trajetória política estudantil. Comecei a me integrar no meio das pessoas que faziam a política partidária, convicto de que se poderia fazer política administrativa de outra maneira, por isso, cheguei a ser candidato a vice-prefeito na chapa de Laudelino Lopes e em outra eleição, também como candidato a vice-prefeito na chapa de Antônio Tavares.

O prefeito Reginaldo Lopes recebe o governador Epitácio Cafeteira para visita à cidade. Atrás, à esquerda, o vice-prefeito Valber Pereira. Atrás, ao centro, o soldado PM Nonato Martins e o vereador Ciro Cardoso. Atrás, à direita, o presidente da Câmara Municipal Paulino Martins. À direita, bem em frente, o garoto Wallace Jorge, filho do prefeito.

Blog Vimarense - Quando o senhor foi candidato a prefeito quantos partidos apoiavam a sua candidatura?

Concorri nas eleições municipais em 1982. Até hoje sou grato da confiança que a sociedade vimarense depositou em mim. Saí candidato pela segunda sub-legenda do PDS.

O governador Cafeteira, acompanhado do prefeito Reginaldo Lopes, visita o igarapé do Patacaia, no ano de 1987, aonde seria construída a Ponte de Cumã em concreto armado.

Blog Vimarense - Nessa época já havia reeleição?

Nessa época todos eram eleitos para um só mandato. A reeleição foi um arranjo que o Congresso Nacional criou para manter os poderosos nos cargos. Fui eleito para exercer o mandato de seis anos com data para começar e para terminar.

O prefeito Reginaldo Lopes com o secretário estadual de Saúde Jackson Lago em reunião no Casino Vimarense para anunciar a duplicação do Hospital Municipal Maria Alice Coutinho no ano de 1988. Na foto, Da esquerda para a direita, o advogado Agenor Gomes, o secretário estadual de Saúde Jackson Lago, o prefeito Reginaldo Lopes e o odontólogo José Inácio Mendonça.

Blog Vimarense - Na sua eleição de prefeito o senhor recebeu um maciço apoio dos professores do município à sua campanha. De que modo os professores participaram de sua administração?

Antes mesmo de colocar o meu nome ao julgamento eleitoral, já vinha recebendo apoio dos amigos mais chegados. Eu dizia que queria ser vereador, devido a militância parlamentar no Grêmio Estudantil, na “Escola Nossa Senhora da Assunção”, mas os meus confrades diziam-me, se assim for não votaremos em você. Ao aceitar concorrer às eleições ao cargo de prefeito, recebemos o total apoio dos professores, dos pais dos alunos. Lembro-me do momento em que fui declarado prefeito, uma grande quantidade de alunos estava em volta da Praça Luís Domingues gritando o meu nome. Por incrível que pareça eles eram os meus mais fervorosos cabos eleitorais porque eles pediam para os seus pais votarem em mim. A minha equipe era composta pelos extraordinários e eficientes professores Joamir da Silva Moraes, Denildes da Silva Cunha, Aldalena da Silva Ferreira Melo, Gracilene Ribeiro Cerveira, Maria das Graças Jansen Carvalho, Adelcira dos Anjos Pinheiro Araújo, Erly Silva Cardoso, o dedicadíssimo Felipe Lima Costa, Iolete Ribeiro Lopes e Laudelino Macedo.

Obras de ampliação do Hospital Municipal Maria Alice Coutinho no ano de 1988, com a construção do segundo pavilhão, que duplicou a capacidade do hospital de 12 para 21 leitos.

Blog Vimarense - Que ano o senhor tomou posse como prefeito?

Tomei posse juntamente com o meu dileto e fiel companheiro de chapa o eminente professor Valber Ferreira Pereira no dia 1º de fevereiro de 1983, numa cerimônia cívica e muito concorrida no salão nobre do Palácio das Lágrimas. Tivemos grandes osbstáculos, especialmente por que o país passava por uma recessão sem precedentes, o que afetava principalmente as prefeituras de pequeno porte, mas isso não me intimidou e nem a minha equipe. Fizemos um esforço enorme para recuperar a credibilidade interna e externa. Preferimos não olhar para o retrovisor e vislumbrar no horizonte a inauguração de várias obras de grande cunho social para a população e eleger o nosso sucessor.

O prefeito Reginaldo Lopes (o segundo, da direita para a esquerda) com o presidente da Câmara Municipal, Paulino Martins, líder da comunidade de Damásio (o terceiro, da esquerda para a direita) e membros da comunidade em frente à Unidade Escolar Manoel Martins da Silva, construída em sua administração.

Blog Vimarense - O mandato do prefeito nesse período era de quantos anos?

Fomos eleitos para um mandato de seis anos, de 1º de fevereiro de 1983 a 31 de dezembro de 1988. Na minha administração deu-se a transição do cargo de prefeito para Valber Ferreira Pereira em virtude de eu ter que me ausentar do município e do estado para tratar de assuntos de interesse da municipalidade. Este ato foi realizado na Câmara Municipal e o Valber Ferreira Pereira assumiu a administração com toda a sua competência. Agradeço ao Todo Poderoso, de nos conservar até hoje unidos e toda a nossa família. Obrigado, professor Valber por pertencer com a minha família do seu laço de amizade. Quero ainda mencionar um fato interessante, falei que gostaria de ser vereador municipal, os meus amigos não concordaram comigo, após a uma gestão municipal muito bem avaliada pelo povo de Guimarães, tanto que o nosso sucessor foi eleito, mas quando registrei a minha candidatura a vereador, não tive sucesso, bem que me avisaram.

Quais as realizações que o senhor considera mais importantes da sua gestão?

Fica aqui muito difícil relatar a mais importante realização da gestão Reginaldo e Valber porque todas as ações que constavam no plano de ação, foram devidamente planejadas, respeitando o anseio do povo vimarense, mas pode-se relatar algumas: a Ponte do Cumã, um sonho daquela comunidade; Pôr em funcionamento o Hospital “Maria Alice Coutinho”, reformá-lo e ampliá-lo e a contratação de profissionais; construção de prédios escolares nos povoados de Jandiritiua, Damásio, Cumã, Pareaua, Santa Rita, Lago do Sapateiro e na sede da municipalidade; prédio na sede do FUNDEC, uma instituição de grande alcance social, situado na Rua Senador Patrício, nesta cidade de Guimarães; a estrada de Entre Rios a Baiacu, beneficiando em seu trajeto vários povoados, uma grande área agrícola e produtora de pescado, que era esquecida pelas autoridades executivas do município que me antecederam; o Complemento do Ensino Fundamental nos povoados de Damásio, Prata, Maçaricó e Genipaúba; a eletrificação rural dos povoados Santo Antônio, Maçaricó e a Avenida Guarapiranga; a transformação da Escola “Nossa Senhora da Assunção” Fundamental e Médio em Escola Pública Estadual e gratuita; a construção de Postos de Saúde nos povoados de Santa Rita, Prata, Monte Alegre e instalação de farmácias básicas na maioria dos povoados; instalação do Banco do Estado do Maranhão (BEM) e muitas outras obras.

Primeiras peças em concreto chegam para a construção da Ponte de Cumã em 1987.

Blog Vimarense - O senhor pretende disputar novas eleições?

Não pretendo concorrer a nenhum cargo eletivo. O novo tempo está a exigir de qualquer pretendente uma dinamicidade sinergética e eu não tenho mais essa linguagem. Mas no nosso grupo político liderado pelo ex-prefeito padre William Guimarães da Silva, tem cidadãos dotados de potencialidades, equilíbrio inabalável e proativas, enfim possuidoras de todas as qualidades inerentes na busca de solução para os problemas decorrentes no nosso bissecular município, dentre outros posso citar a senhora Margarete Ribeiro e o professor Osvaldo Gomes, nossos pré-candidatos a prefeito e vice-prefeito às eleições municipais de 2016, todos com uma grande folha de serviços prestados na área social em que militam há vários anos a quem dou todo o meu apoio.

Obrigado pela entrevista.

Eu que agradeço pela gentileza de me proporcionar este momento. Você, Nonato Brito, fez utilizar-me da imaginação para navegar no tempo e no espaço, um esforço gratificante.


68 visualizações