Buscar
  • Nonato Brito

FOTO DE ARQUIVO (11) - "Pastores" de Guimarães tem mais de 150 anos


Pastor de Guimarães. A fotografia tem 30 anos. É de 1986. (Foto: Arquivo do jornal Folha de Guimarães)

A encenação dos autos natalinos vimarenses, denominados "Pastores", tem mais de 150 anos em Guimarães. O primeiro registro conhecido em Guimarães é o "Pastor Estrela do Oriente", escrito por Maria Firmina dos Reis. Neste ano, dois Pastores estão sendo encenados no município: o Pastor da professora Zenaide Abrantes, no Gepuba, e o Pastor de Mangueirão, no povoado Vila Nova. O “Pastor”, auto de Natal encenado por jovens do sexo feminino, é tradição que se mantém em Guimarães. Ultimamente já se vê, inclusive, o auto natalino sendo encenado por pessoas da terceira idade. Além do quadro da Sagrada Família, com José, Maria e o Menino-Deus, são apresentados o Guia, o Pastor-Mestre, a Estrela, a Pastora Perdida, a Florista, as Espanholas, a Cigana, a Sertaneja, os Fidalgos, os Matutos, os Galegos, a Primavera, as Borboletas, dentre outros, que se encontram e rumam para Belém a fim de adorar ao Menino-Deus. Nos idos de 1860, à época do Brasil-Império, a escritora Maria Firmina dos Reis, residente na Praça Luís Domingues, escrevia “Pastores”, assim também como o Professor Osório Anchieta, consagrado humanista vimaranense. Os dois, algumas vezes, estabeleceram parcerias compondo músicas ou as letras para os “Pastores”. De lá para cá já se vão mais de 150 anos. Na década de 1930, o Monsenhor Estrela, então vigário da paróquia, também escreveu e encenou pastorais na cidade. Notabilizaram-se em Guimarães pela encenação de “Pastores": Nhazinha Goulart, Dona Dudu, Nhazinha Moreira, Alice Nogueira, Joquinha Reis, Altiva Teixeira, dona Clarinda, Vitória Moreira, Maria Duarte, além de outros. Nos povoados de Cumã, Genipaúba, Maçaricó, Puca e Prata também a tradição permanece. É famoso o “Pastor Estrela do Oriente”, escrito por Maria Firmina dos Reis:

“Bons pastores desses campos,

Não deveis mais descansar,

Já da aurora a luz dourada

Vem risonha despontar.

Vinde já, bons pastores,

Desses campos;

Vinde com toda a pressa,

Que vos quero contar

De Belém o sucesso

De admirar.”

(Fonte: “Maria Firmina – Fragmentos de uma Vida”, livro do Prof. Nascimento Morais Filho, publicado pelo SIOGE em 1975).


0 visualização