Buscar
  • Nonato Brito

Rua Dias Vieira descrita pelo poeta Paulo Oliveira em seu livro Poemarães


Rua Dias Vieira, com vista privilegiada da Casa Dias Viera, Teatro Guarapiranga e Escola da Fé

Rua Dias Vieira

Poema de Paulo Oliveira (Pauliver)

Quem te vê e quem te viu,

oh minha Dias Vieira!

como eras no passado,

um percurso transitado

por carro-de-boi cantando,

numa rota costumeira,

que o povo via escutando.

Com o nome diferente,

de Magalhães de Almeida,

sem luminárias elétricas,

naquele tempo de cão,

sem progresso e sem estética,

sem verde pela alameda.

Hoje, o asfalto é bem real,

sobreposto a um calçamento,

com poucas repartições

e comercio, aos borbotões

te dando vida e movimento.

O teu título atual,

homenagem aos Dias Vieira

família que produziu,

no cenário do Brasil,

reconhecidas estrelas.

Lê-se ainda, outras famílias:

Basola, Lopes, Soares,

Coutinho, Melo, Pimenta,

Anchieta, Reis, Tavares,

Schalcher, Veloso, Cordeiro, além de outros singulares.

Na abordagem dos demais

Há ainda vários clãs:

Miranda, Lima, de Deus,

Leite, Gomes, Guimarães,

Garcia, Pinho, Fonseca,

Rodrigues, Santos, Prazeres,

um elenco verdadeiro

de significantes seres.

Era a outrora a prefeitura

e o seu prédio principal,

lembrança forte do tempo

da Escola Paroquial,

que pra todos foi exemplo

de ensino fundamental


0 visualização