• Nonato Brito

Bráulio Martins faz homenagem póstuma ao mestre Marcelino Azevedo


Soube a pouco do falecimento do amigo Marcelino Azevedo, amo do Boi de Guimarães. Ao longo de 40 anos Marcelino comandou o Bumba meu Boi de Guimarães, sempre com determinação, enfrentando todo tipo de adversidade. Era um Guerreiro no sentido literal. Alto, forte e leal. Compartilhamos momentos inesquecíveis ao longo de mais de 30 anos de amizade. Perde Guimarães, perde o Maranhão, perde o Brasil. Marcelino era reconhecido mundialmente, apresentando-se na Alemanha e em Portugal. A sua brincadeira, como ele chamava ,era igual a praticada a 200 anos atrás. Nada de pirotecnia, nada que chamasse a atenção. As zabumbas e pandeiros eram de couro e tronco de árvores. Os versos martelados com rimas fechadas. Mestre Marcelo, como chamávamos vai e leva o que ainda restava do passado de uma Guimarães que cada dia vai ficando menor. Como Nego Cosme e Zumbi dos Palmares, Marcelino sai da vida terrena e entra para a história. Um grande amigo. São Luís, 6 de março de 2016.

Destaque
Tags