• Nonato Brito

ENTREVISTA - Padre William: "Com Margarete e Osvaldo o povo vai voltar a ter dias melhores&quot


O ex-prefeito padre William é entrevistado por Nonato Brito

Esta é a terceira entrevista que o Blog Vimarense realiza com os ex-prefeitos de Guimarães. A primeira foi com o ex-prefeito Celso Coutinho, no início do ano; a segunda, com o ex-prefeito Reginaldo Lopes, há dois meses. Três ex-prefeitos ainda não foram entrevistados: o ex-prefeito José Murilo Nunes de Sousa que, apesar de procurado pelo Blog Vimarense, não teve tempo para a entrevista em razão de encontrar-se atarefado com a sua campanha a prefeito de Guimarães. Faltam, ainda, o ex-prefeito Artur Farias, neste período, engajado na campanha de José Murilo, e também o ex-prefeito Agenor Gomes, que deu por concluída a sua atividade política em 1998 e ingressou a seguir na carreira da magistratura, sendo, atualmente, juiz de Direito na Capital. Até o fim do ano, o Blog Vimarense espera poder contar com as entrevistas dos três ex-prefeitos da nossa Guimarães. Esta entrevista é com o ex-prefeito Padre William Guimarães da Silva, por dois mandados prefeito de Guimarães. Padre William recebeu o editor do Blog Vimarense, Nonato Brito, na sua residência da Rua Santa Rita.


Blog Vimarense - O senhor viveu toda a sua infância na sede ou no interior?

Padre William – Eu nasci no povoado Santa Rita aqui de Guimarães por força de não haver transporte naquele tempo. Eu estava previsto para nascer em São Luís porque minha mãe era enfermeira lá na capital, no Hospital Geral, então coincidiu com a viagem do barco. Eu nasci em Santa Rita, Deus quis que eu nascesse vimarense. Após a quarentena fomos para São Luís e ficamos por lá até a faixa de 12 anos.


Blog Vimarense – O curso primário o senhor fez em Guimarães? O senhor se lembra dos seus primeiros professores?

Padre William – Eu cursei aqui a 3ª e 4ª séries do primário com os padres canadenses. Naquele tempo, a irmã Maria Assunta era diretora da escola juntamente com as professoras Antônia Carvalho e Ana Maria Cavaignac. Depois vim para o internato dos padres, nesse período, com mais dois irmãos. Eu não fiz a 5ª série. Mandaram logo eu fazer o exame de admissão. Fui aprovado e logo fui fazer o ginásio, naquele, quando eram de 4 anos. Hoje fala-se de 9ª série, era o curso Normal Nossa Senhora da Assunção. Nesse período houve um trabalho vocacional com os padres João Caya e Marcelo Pepin. Tinha um movimento chamado Cadete, eram jovens estudantes que iam ajudar o padre em missão de evangelização e lá Deus me laçou (risos). E depois os padres me perguntaram se eu queria seguir a carreira de padre. Eu tinha medo do meu pai, falei com ele com uma outra história. Nós tínhamos um colega chamado Raimundo Lima que depois se tornou médico, eu trabalhando na roça com meu pai lá em Santa Rita e querendo saber a opinião do pai. Eu disse para o meu pai: o pai de Raimundo Lima quer que ele estude para ser advogado e ele quer ser médico. E aí meu pai me respondeu: veja só, se um filho meu que quer ser e eu que vou impedir? E aquela opinião naquele momento do meu pai foi meu golpe de vitória e aí à noite fui conversar com meu pai e dizer que na manhã seguinte os padres João Caya e Marcelo Pepin iriam me buscar para ir para o seminário, vou estudar para ser padre. E o meu pai então perguntou: para padre? Sim. - Então reza um bocado lá por mim. E nesse período de 1958 para 1959, entrei para o seminário.


Blog Vimarense – O senhor foi aluno da Escola Nossa Senhora da Assunção nos primeiros tempos da Missão Canadense?

Padre William – Fui sim. Dom Afonso, que era o bispo da diocese de Pinheiro, mandou padre João e outro colega dele, dom Guido, que era bispo também, que me internasse no internato com Dona Julica, Cecília, Aderaldo... Tinham vários outros professores, aí, assim, foi inaugurado o Seminário Menor. Terminamos o ginásio com outros missionários italianos: Giovani Pelella, que é grande trunfo na capital, e Eugênio Gandini e fora outros italianos. E assim foi a minha infância para a adolescência em Guimarães.


Blog Vimarense – Quem foram seus professores do ginásio?

Padre Wiliam - Lembro sim. Ana Maria Cavaignac era professora de Português; Dona Deney, que era de Caxias, professora de Geografia; Leles, que era professor de Matemática; Aderaldo que se tornou professor de Português; as irmãs Terezinha, Adélia, Maria Assunta que eram professoras de Línguas. Nesse tempo dávamos Português, Francês, Latim e Inglês. Os padres Miguel, Marcelo e João, Nizinha, filha de Amadeu, que hoje é esposa de Deco, também foi minha professora. Washington que era professor de artes manuais que trabalhava na olaria do Capitiua; Raimundo Franco, professor de artes manuais que ensinava a fazer cofo, meançaba, abano, eram chamados de Educação Artística. E tinha o professor de Técnicas Agrícolas, que nos ensinava a fazer hortas... Era o pai do nosso colega Paulo Oliveira que depois se tornou poeta e promotor de justiça, Antônio era o nome dele; Arnaldo, conhecido como Nonô, foi o nosso professor na época; Evilton Melo, que era um aluno muito aplicado e tornou-se professor de Línguas e ele gostava muito do francês.


Blog Vimarense – O senhor se lembra de colegas de turma daquela época?

Padre Wiliam – Como lembro. No internato tinha muitos rapazes e moças de vários municípios também. Lembro de José Benedito, de Pinheiro, Zé Murilo, Jorgeomar, Zé Carlos da Rua do Porto, Alvira, irmã de Reginaldo, Paula Lopes, Maria Clara Ramos, Raimunda Brito, Luís Fernando, conhecido por K1, Stênio que também era jogador, Deco, Paulo Oliveira, Raimundo de Bigodinho, Síria, Ubirajara, Marizete, Pereira. Joy, Zé Leite, Anlui que era filho do prefeito Antônio Tavares, Santinha, Nelcy, Sinhozinho de Cedral, Isabel Barbosa, Analia... Eram muitos que no momento não estou lembrando, Nonato.


Blog Vimarense – Que ano o senhor foi ordenado padre? Qual foi a sua primeira paróquia?

Padre William – Minha ordenação foi em 25 de janeiro de 1973 e aconteceu na cidade de Santa Helena numa praça. Vim de São Paulo, onde estava estudando. Vim como diácono para celebrar a primeira missa aqui em Guimarães e a minha primeira paróquia foi Santa Helena.


Blog Vimarense – Antes de ser prefeito de Guimarães o senhor candidatou-se a vereador?

Padre William – Não. Nunca tive o prazer de ter essa experiência de candidatar-me a vereador nem em Santa Helena e nem aqui em Guimarães. Fui candidato a prefeito em Santa Helena por um mandato e dois mandados consecutivos aqui na minha terra. Eu entrei na política numa situação do destino. Eu não entendia nada de política, não sabia mexer nada de partido, mas um belo dia, o Epitácio Cafeteira que pretendia visitar Santa Helena onde eu tinha um grande trabalho social, mandou Gervásio Santos, de feliz memória, que era deputado e filho de Cururupu, e Zé Genésio lá em Santa Helena me chamar, dizendo que queria falar comigo. Eu disse: - Falar comigo? Eu não entendo de política, o político era o meu compadre Zequinha Duailibe, de Santa Helena. Eu só conhecia Cafeteira de nome quando passei uma parte da minha infância em São Luís. Falei pra meu compadre: - O senhor vai comigo. O Cafeteira mandou um carro me apanhar. Chegando lá em Pinheiro, quando ele foi olhando, foi logo dizendo, meu querido Padre William (risos). Nunca tínhamos nos falado. Ele disse: Estou na minha campanha política e quero ser recebido pelo senhor, amanhã, em Santa Helena. Falei para ele que eu não mexia com política, mas que poderia organizar para o fim de mês porque estamos no começo, aí eu garanto lhe receber. Acertamos e na data marcada ele foi ao nosso encontro e organizamos a recepção. Ele na sua fala disse: - Na campanha passada eu vim aqui e recebi chupa de laranja e ovo podre, mas hoje estou com a sensação de que já sou governador do Maranhão com toda essa multidão aqui e apoiado por esse padre. Aí foi um aplauso danado, ele ganhou a eleição e depois me apoiou para prefeito de Santa Helena e a partir daí, da década de 1980 ingressei na política. Ele me ajudou na minha administração... construção da Rodoviária, bairro do Olho D’água e tantas outras obras... Depois veio o Lobão que também nos ajudou.


Blog Vimarense – Quando o senhor foi candidato a prefeito quantos partidos lhe apoiaram?

Padre Wiliam – Vou ficar lhe devendo essa, Nonato (risos). Não lembro realmente. Sei que eu era filiado ao PMDB que estava com Seu Luís Barbudo, depois o partido já não estava com o Luís, o comando já estava com o Dr. Artur. Enfim, eu já conhecia o professor Reginaldo e este me ofereceu o então PFL e fui prefeito duas vezes consecutivas, prefeito de Guimarães que é a minha terra. O meu vice era do Partido Progressista.


Blog Vimarense – Nessa época já havia reeleição?

Padre William – Quando eu fui prefeito de Santa Helena, lá nos idos de 1988 não havia.


Blog Vimarense – Que ano o senhor tomou posse como prefeito pela primeira vez?

Padre William – Foi em 1° de janeiro de 1989 quando eu já estava 10 anos como padre em Santa Helena. Já aqui em Guimarães já estava como padre 7 anos.


Blog Vimarense – O mandato do prefeito nesse período era de quantos anos?

Padre William – Nonato, o mandato era só quatro anos. Aqui em Guimarães o povo confiou dois mandatos de prefeito. No primeiro mandato o slogan era “Novos horizontes para Guimarães e no segundo mandato era “Pra fazer muito mais”. Guimarães não tinha essa experiência de reeleição e viu que eu deveria ficar no governo para fazer muito mais. Esse segundo slogan foi sugerido e debatido em reuniões e quem venceu foi o povo de Guimarães. Para a minha candidatura no segundo mandato foram falar com o bispo dom Ricardo e este permitiu e fomos candidato e eleito novamente prefeito. Nós trabalhamos por Guimarães com a responsabilidade de trazer o desenvolvimento para a nossa terra, colocar Guimarães, fazer um governo voltado para os anseios do povo, cuidar da urbanização, cuidar da saúde, cuidar das estradas, cuidar da produção, atenção à juventude, cuidar da educação, em destaque e conseguimos. Tivemos a sorte de formarmos mais de 250 acadêmicos de cursos superiores. Foram formados em polos universitários em Guimarães. Aproveito para dizer que esse projeto não pode parar, apesar de estar agonizando. O desenvolvimento de Guimarães não deveria estar desse jeito, parado, o povo sem perspectivas de nada. Temos que voltar Guimarães ao desenvolvimento, trazendo obras para o município para garantir o emprego, polo de faculdade como tínhamos na minha época, a saúde funcionando. Deixamos até um Raio-X novo no hospital e outros equipamentos necessários. Nonato, pensando no bem estar da nossa terra é que estou apostando nos candidatos Margarete e Osvaldo par fazerem Guimarães voltar ao que era na época do Padre Wiliam. São cidadãos responsáveis e que têm trabalho na saúde e na educação do povo vimarense. Guimarães merece respeito e o povo precisa voltar a ser feliz. Margarete trabalhou muitas anos com vários prefeitos de Guimarães, tem um excelente trabalho na saúde do município e Osvaldo, um jovem professor que também dedica a sua vida à Educação do município. A nossa Guimarães sempre se destacou no cenário da Educação, a nossa terra já recebeu inúmeros estudantes de outros municípios como Cururupu, Cândido Mendes, Turiaçu, São Bento, Peri-Mirim, Bequimão, Alcântara e tantos.


Blog Vimarense – Quais são as realizações que o senhor considera mais importantes nas suas gestões?

Padre William – Nonato, são muitas. Mas vou citar algumas que lembro no momento. A primeira foi arrumar a periferia, dar vida digna aos nossos munícipes calçando ruas e fazendo limpezas periódicas, dar importância de urbanização aos moradores dos bairros e criar acessibilidade. Aqui tinha rua que você nem podia passar, você sempre teria que dar uma volta muito grande para ir onde queria. Nós fizemos essa interligação e o que não tivemos tempo de fazer estão do mesmo jeito ou pior. Fizemos concurso para muitos jovens se empregar, trouxemos a Universidade pra cá, tivemos a UFMA e a UEMA durante a nossa gestão, trabalhamos a qualificação. Na Secretaria de Agricultura, na Secretaria de Assistência Social, procuramos dar muita qualificação para os jovens e muita atenção para as crianças das nossas creches e para os nossos idosos, e o que nós trabalhamos nos planos de educação, saúde a assistência social. O Cumã também recebeu urbanização. A praça do nosso santo padroeiro São José também é um marco da nossa administração. Lá em Alcântara eles me perguntam de quem foi a ideia de fazer a estátua de São José lá naquele alto? Digo que foi um projeto do vereador Osvaldo Gomes e nós fizemos para ser um marco da nossa administração. Nonato, nós deixamos várias obras para serem concluídas e passaram esse tempo todo e nada fizeram. Está precisando de pessoas responsáveis e dedicadas para buscar a melhoria para Guimarães. O dinheiro ficou na conta também para o aterro sanitário e não foi feito. Para fazer Guimarães voltar ao desenvolvimento e o povo ser respeitado devemos votar em Margarete e Osvaldo para prefeito e vice-prefeito respectivamente, é o melhor para Guimarães, por isso que estamos apoiando essa dupla.


Blog Vimarense – Porque o senhor não disputou as eleições deste ano?

Padre William – Nonato, alguns adversários acham que é porque estou reprovado, não fui candidato porque roubei é porque estou impedido. Tem adversário vereador que votou a favor da minha prestação de contas, aliás, a votação foi unânime pela aprovação e hoje diz que roubei isso e aquilo, vamos entender... Não se trata nada disso. Você sabe como é adversário e observamos que ninguém atira pedra em árvore que não dá bons frutos. Árvores atacadas são aquelas que dão bons frutos. Você plantando uma árvore é muito melhor do que derrubá-la. No ano que vem eu estou na compulsória como padre, já vou me aposentar em fevereiro. Eu estava com a intenção de ser candidato a prefeito, mas eu tenho meu superior que é o bispo dom Élio. Ele é novo na diocese, fui falar com ele e ele me disse: - Ou batina ou gravata. Se você quer ser prefeito, então decida. Fui analisar que em fevereiro eu me aposento. Eu escolhi desde jovem ser sacerdote, se Deus abençoasse e eu fosse candidato e fosse eleito, passaria a ser ex-padre, iria colocar fora 45 anos de padre. Qualquer vimarense, maranhense, brasileiro de bom senso não deixaria isso acontecer. Mas estou não só apoiando, estou apostando em Margarete e Osvaldo. É o melhor para Guimarães. Com Margarete e Osvaldo na prefeitura o povo vimarense vai voltar a sorrir e usufruir melhores dias.


Blog Vimarense – Obrigado pela entrevista.

Padre William – Eu quem agradeço. Admiro muito o seu trabalho e parabéns.

Destaque
Tags