• Nonato Brito

Professora Adriana Diniz toma posse na Cadeira nº 33 do IHGG patroneada pelo Padre Victor Asselin


A professora Adriana Diniz assina o termo de posse na Cadeira nº 33 do Instituto Histórico e Geográfico de Guimarães, patroneada pelo canadense e vimarense honorário Padre Victor Asselin.


A professora Adriana Diniz tomou posse, no último domingo (8) na Cadeira nº 33 do Instituto Histórico e Geográfico de Guimarães, patroneada pelo Padre Victor Asselin. A solenidade ocorreu às 17 horas na sede do IHGG, no prédio da Oravi, na praça Luís Domingues. Presidida por Osvaldo Gomes, a Mesa dos trabalhos foi composta por Cláudia Rodrigues da Silva e Ângela Anchieta, da diretoria do Instituto, e da vereadora Ana Luiza Ramos.


Adriana Bastos Diniz, filha de Nelson Ferreira Diniz e Beneddita Bastos Diniz, formou-se em Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) em 2004. É Especialista em Geografia do Turismo pela Universidade Estadual do Maranhão (2006). Trabalhou como professora contratada pela UEMA no curso de Geografia no Programa PQD. É funcionária pública do Estado, sendo professora do Ensino Médio do Centro de Ensino Nossa Senhora da Assunção. É funcionária do Município de Guimarães, sendo professora da Unidade Escolar João Goulart Nunes.


Após a saudação à nova integrante do Instituto Histórico e Geográfico de Guimarães, Adriana Diniz proferiu o elogio ao patrono de sua Cadeira - o canadense e vimarense honorário Padre Victor Asselin, falecido em 2013.


Padre Victor Asselin nasceu no ano de 1938 em Quebec, Canadá. Ordenou-se padre em 1964 e veio para o Brasil em 1966, fixando-se em Guimarães com dezenas de missionários canadenses. Permaneceu no Maranhão por mais de 40 anos. Foi vigário de Guimarães na década de 1970. Foi o coordenador do Mutirão Comunitário que construiu o Centro Educacional Comunitário (CEC), prédio onde viria funcionar a Escola Nossa Senhora da Assunção, na Rua Emílio Habibe, na década de 1970. Foi um dos coordenadores, junto com outras lideranças locais, da "Marcha da Pedra", onde dezenas de famílias vimarenses carregaram pedras em passeata pelas ruas da cidade para a construção do Hospital da cidade, que seria edificado com o nome da Dra. Maria Alice Coutinho. Também foi um dos idealizadores do Conjunto Habitacional da Comunidade de Damásio na década de 1970. Promoveu manifestações da cultura popular nas comunidades vimarenses na década de 1970. Vigário da Paróquia de Guimarães. Foi um dos primeiros coordenadores das Comunidades Eclesiais de Base no Maranhão. Foi o primeiro vice-presidente da Comissão Pastoral de Terras (CPT-Nacional). Presidente da Comissão Pastoral da Terra da Arquidiocese de São Luís. Publicou o livro "Corrupção e violência nas terras do Carajás". Formou-se em Direito pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Foi Assessor Jurídico da Prefeitura Municipal de Guimarães de 2006 a 2008. Faleceu aos 75 anos em Quebec, Canadá, no dia 23 de agosto de 2013.



Destaque
Tags